Armazém da Família na Vila das Torres é inaugurado às pressas e se esquece até do básico!

Na ânsia de entregar novos equipamentos para ver se levanta a moral com os cidadãos, a atual administração comete erros de principiante, não oferece condições para que os servidores possam desempenhar suas atividades com qualidade.

20160629_134316
segurança privada no local

Já no início das atividades do Armazém da Família da Vila Torres, os servidores foram praticamente jogados no equipamento para dar atendimento aos usuários do equipamento. Sem os armários para guarda dos seus pertences particulares, sem os utensílios básicos de alimentação e higiene, e sequer uma cadeira para o servidor descansar.

 

moradia para ser alugada dentro do espaço onde fica o armazém da familia
moradia para ser alugada dentro do espaço onde fica o armazém da familia

“Passar toda a jornada de trabalho em pé é completamente prejudicial à saúde de qualquer ser humano, mas parece que o Prefeito não está muito preocupado com isso”. Comenta o Diretor Vice-Presidente GM Roberto José.

Servidores tem que improvisar cadeiras para poder descansar.
Servidores tem que improvisar cadeiras para poder descansar.

O Sindicato dos Guardas Municipais de Curitiba – SIGMUC compareceu no local e constatou as reclamações levantadas pelos servidores.

Armazém divide o local com residencias particulares?
Armazém divide o local com residencias particulares?

Vale lembrar que os Armazéns da Família são de responsabilidade da Secretaria Municipal do Abastecimento, a qual é responsável por dar todas as condições de trabalho aos servidores que ali desempenham suas atividades, inclusive aos Guardas Municipais.

 

Outra preocupação é a fragilidade do equipamento, que muitas vezes são espaços privados cuja estrutura não oferta a segurança necessária para os servidores. Não há sequer um plano de segurança para atendimento às ocorrências do próprio equipamento.

 

Reveja alguns históricos de violência ocorridos nos Armazéns da Família: clicando AQUIAQUIAQUIAQUIAQUI  E  AQUI.

 

O SIGMUC enviou oficio cobrando providencias para a SMDS e para a SMAB até o presente momento não teve retorno.