Ato em Curitiba pede unificação e desmilitarização da polícia

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on print

Policiais se reuniram na manhã desta sábado, no centro de Curitiba, para pedir a aprovação da PEC 51, que prevê carreira única e ciclo completo.

 

Representantes do Fórum Paranaense Pela Segurança Pública se reuniram na manhã deste sábado (12), no centro de Curitiba, para um ato a favor da aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 51, que propõe a reestruturação da segurança pública, a partir da desmilitarização do modelo policial.

 

(dir) Vice Presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviarios Federais - Oliveira e (esq) Presidente do SIGMUC - Luiz Vecchi
(esq) Vice Presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviarios Federais – Oliveira e (dir) Presidente do SIGMUC- Sindicato da Guarda de Curitiba – Luiz Vecchi

 

Participaram da manifestação representantes das polícias Militar, Civil, Federal, Rodoviária Federal, Guarda Municipal e Bombeiros. O objetivo era conscientizar a população acerca da importância da aprovação da matéria, que prevê polícias de carreira única e ciclo completo.

 

Da direita para esquerda - Presidente do SIGMETRO - Juliano Costa, Rejane, Prebianca e Vecchi diretores do SIGMUC
Da esquerda para direita – Presidente do SIGMETRO – Juliano Costa e os diretores do SIGMUC,  Rejane, Prebianca e Vecchi.

Além da panfletagem, o grupo levou à Boca Maldita um grande elefante branco identificado como “inquérito policial”. “92% dos inquéritos vão para o lixo, é uma inutilidade. Eles não andam pela necessidade, mas pelo interesse político”, explica Ivair Radaelle, agente da Polícia Federal. Outro problema do modelo atual, segundo ele, é a existência de duas portas de entrada na polícia: uma para policiais e outra para cargos de delegado. “Nas melhores polícias do mundo, todos entram como policiais, vão fazendo cursos internos e ocupando os cargos necessários.”

 

O presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Estado do Paraná (Sinpef-PR), Fernando Vicentine, acrescenta que o formato contribui para uma desvalorização do policial que está na rua. “Em nenhuma organização se chega a chefe ser conhecer a base, mas o delegado já entra por concurso como chefe. Os coronéis querem o ciclo completo [quem atende a ocorrência investiga], mas não a carreira única”, critica. Ele defende uma polícia voltada para a investigação, que não perca tempo com burocracias. “Temos a maior taxa de impostos e o pior retorno para a população. São 50 mil mortes por ano e a maioria sem solução, porque já começa errado no inquérito.”

 

 

O coordenador de direitos humanos da Associação de Praças do Paraná (Apra-PR), Alex Willian, afirma que a desmilitarização da polícia é um anseio da sociedade. “Como Policiais Militares somos cidadãos incompletos, porque as regras da corporação prendem nosso direito de expressão. Visamos uma polícia mais eficiente para a sociedade.” Segundo ele, o tema começou a ser discutido recentemente dentro da PM e ainda gera alguns temores pontuais, como a perda de direitos.

 

Juliano Costa - Sigmetro - Luiz Vcchi - Sigmuc - Nunes - SinPRF
Juliano Costa – Sigmetro – Luiz Vcchi – Sigmuc – Nunes – SinPRF

 

“Alguns acham que perderão a aposentadoria especial, por exemplo, mas isso é um direito ligado à periculosidade da atividade, portanto, seria mantido”, diz. A junção das polícias Militar e Civil, defende Ivair Radaelle, resultaria em uma polícia cidadã. “O objetivo é garantir o direito do cidadão e não os privilégios do governo de plantão, como ocorre hoje”, argumenta. Para o psicólogo Márcio Possan, 44 anos, que parou no calçadão para ouvir as reivindicações dos policiais, o modelo atual da polícia precisa passar por reformulações. “Não funciona. São corporações diferentes, com interesses e orçamentos diferenciados”, critica.

 

PEC 51

 

De autoria do senador Lindbergh Farias (PT/RJ), a PEC 51 propõe alterações nos artigos 21, 24 e 144 da Constituição Federal. Após tramitar na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, em março, a matéria foi encaminhada para a Secretaria Geral da Mesa, onde aguarda inclusão em Ordem do Dia.

 

Fonte Gazeta do Povo

 

COMPARTILHE

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Share on print
Print

FILIE-SE AO SIGMUC

INFORMATIVO SOBRE A PEC 32/2020

DENUNCIE IRREGULARIDADES

FACEBOOK

Outras Notícias