AVALIAÇÃO FUNCIONAL DOS SERVIDORES VOLTA A SER QUESTIONADA PELOS SINDICATOS NA CMC

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on print

Os sindicatos, SIGMUC, SISMMAC e SISMUC, se reuniram novamente com os vereadores para discutir a ausência de clareza do projeto que visa implementar a avalição funcional dos servidores públicos municipais.

Os representantes dos sindicatos reforçaram a falta de informações e o enfraquecimento que o projeto causa no funcionalismo, situação que se tornará uma verdadeira ferramenta de assédio e pressão, distante dos objetivos de eficiência pretendidos pela administração. “Não somos contrários a avaliação funcional, entendemos a necessidade de um serviço público de qualidade para os cidadãos, mas não podemos consentir que os critérios sejam uma espécie de cheque em branco, sujeitos a vontade do administrador do momento”. Comentam.

O representante do SIGMUC lembrou os vereadores que o atual plano de carreiras da Guarda Municipal, Lei 14.522/2014 foi construído em conjunto com a administração e aprovado vereadores, e que os critérios de avanço na carreira são objetivos e fixados em lei. Agora, o projeto cria por portarias e decretos situações que se sobrepõe a própria lei. “É controverso que uma lei seja diminuída na própria casa de leis”. Pontua o SIGMUC

Outro ponto questionável é a possibilidade de um servidor não estável e sem experiência ocupar funções de gerência e direção, avaliando servidores estáveis e mais experientes. “Não é a lógica de uma administração que visa eficiência.” Opina. Outro ponto que se mostra problemático segundo o sindicato é a falta de avaliação da chefia por parte dos servidores. “Avaliação que visa aprimoramento do serviço público e não permite a avaliação da chefia, não é avaliação, é manobra política.” Concluem.

Os representantes comentam que em nenhum momento a administração se mostrou aberta ao diálogo e não promoveu reuniões conjuntas para discutir o tema, e que precisam de dados para apresentar os seus apontamentos.” Temos que saber quais são os critérios e conceitos, quais os objetivos e resultados, só então poderemos apresentar algo.” Firmam.

Diante da ausência de dados e por maiores esclarecimentos, os vereadores propuseram uma nova reunião com a presença dos representantes da administração e conjuntamente com o Secretário de Governo Municipal – Luiz Fernando Jamur. “Também ficamos com dúvidas e entendemos os motivos dos representantes dos sindicatos.” Comentou o vereador Ezequias Barros, presidente da comissão de serviço público. “Fica agendado para quinta feira pela manhã.” Sinalizou o presidente da CMC, vereador Tico Kuzma.

A vereadora Professora Josete reforçou seus questionamentos contrários ao projeto no voto em separado que fez questão de apresentar aos vereadores na reunião. “Leiam o voto”. Comenta a vereadora.

O projeto está em fase de votação na comissão de serviço público e aguarda votação para ser encaminhada à plenário para aprovação. O SIGMUC acompanha toda a discussão e estará presente com seus apontamentos, uma vez que a carreira da Segurança Pública possui suas especificidades e as avaliações também devem seguir estas diferenças.

SIGMUC, Juntos Somos Fortes!!!

COMPARTILHE

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Share on print
Print

FILIE-SE AO SIGMUC

INFORMATIVO SOBRE A PEC 32/2020

DENUNCIE IRREGULARIDADES

FACEBOOK

Outras Notícias