CURITIBA – Aumento de ocorrências atendidas por GMS

CURITIBA – Aumento de ocorrências atendidas por GMS

Em três anos, de 2016 e 2019, a Guarda Municipal (GM) de Curitiba registrou aumento de 77,8% nas ocorrências. O número saltou de 18.984 em 2016 para 33.762 em 2019. E a grande parte dos atendimentos ocorre no Centro. Só em 2019, 37% das ocorrências foram na região central.

O número na região central é bem maior do que no segundo bairro com mais ocorrências, o São Francisco, com apenas 7% das ocorrências em 2019

O diretor-geral da Guarda Municipal de Curitiba, explica que a regional Matriz, a qual pertence o Centro, é a mais populosa. “A média é de 2,5 milhões pessoas circulando nesta área. Por isso o maior número de ocorrências”, explica. Dentre as ocorrências no Centro, o inspetor destaca que foram encontrados 161 foragidos da justiça ao longo das abordagens ano passado.

O número de atendimentos da Guarda Municipal em outros bairros é bem menor do que no Centro. O São Francisco é o segundo bairro com mais ocorrências, com 7% do total. Em terceiro lugar estão empatados o Cajuru, CIC e Sítio Cercado, cada um com 6%. O Boqueirão, com 5% das ocorrências, em quarto lugar.

Na sequência vem Jardim Botânico e Tatuquara na quinta posição com 3% cada. Depois, com 2% das ocorrências atendidas pela GM, estão Alto Boqueirão, Portão, Rebouças, Capão Raso, Fazendinha, Uberaba, Bacacheri, Santo Inácio, Boa Vista, Santa Cândida, Centro Cívico, Água Verde, Santa Felicidade e Pinheirinho.

Mais guardas nos bairros

Dos 380 novos guardas municipais de Curitiba, 290 vão atuar fora do Centro, nas regionais dos bairros. Outros 90 devem ser realocados pela cidade após o fim da Operação Verão. “Nenhuma área ficará descoberta. Estamos aumentando o efetivo para que todas as regionais tenham capacidade de atuar. Lembrando que os parques da cidade e os equipamentos públicos seguem sendo cuidados pela GM”, disse.

Abordagens dominam

Dentre 33 mil ocorrências atendidas em 2019, as abordagens a suspeitos dominam a atuação da Guarda Municipal. Foram 7.047 no ano passado. “No Centro nosso trabalho é mais de abordagem, há um efetivo maior para isso”, explica o Inspetor Celso. Na sequência está a categoria apoio, com 6.672 registros. Em terceiro lugar estão ocorrências relacionadas a substâncias ilícitas (uso, porte e tráfico): 2.050 registros. Dano (1.961), atitude suspeita (1.424) e roubo (1.366) aparecem logo depois.

Leia a matéria completa clicando Aqui.

fonte: TRIBUNA

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios*