RETIRADO O PROJETO QUE CRIA “BANCO DE HORAS”

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on print

A Guarda Municipal é uma das categorias que mais realiza horas-extraordinárias na administração municipal, e sabendo que boa parte da remuneração dos servidores Guardas Municipais provem da prática ininterrupta de horas-extras, o SIGMUC buscou sensibilizar a categoria para os prejuízos que adviriam da adoção do “BANCO DE HORAS” pela administração municipal.

Após realizar contatos com os outros sindicatos representantes de categorias de servidores da municipalidade, definiu-se por uma série de atos, iniciando-se com uma “LINGUIÇADA” de protesto, que teve lugar na frente da Prefeitura, em data de 11 de Dezembro de 2014.

LINGUIÇADA contra o Banco de horas
LINGUIÇADA contra o Banco de horas

 

A partir daí, a pressão unificada das entidades sindicais, bem como a articulação política resultante desta união, levou a varias reuniões, dentre as quais destacamos a reunião havida com o relator da matéria na Câmara Municipal, vereador Cristiano Santos.

Nesta reunião, o parlamentar se colocou a disposição da categoria e reafirmou os compromissos de defender a Guarda Municipal e seus pleitos frente à administração municipal.

Demonstrando ter sentido a pressão, causada pela revolta dos servidores, o prefeito municipal encaminhou “mensagem” à Câmara Municipal, solicitando “a retirada da proposição nº. 005.00220.2014”, “para estudos mais aprofundados”.

 

CCI09032015

CCI09032015_0001

O SIGMUC, através dos seus diretores, convoca a categoria da Guarda Municipal de Curitiba, permanecer vigilante e mobilizada, pois como informa a mensagem do prefeito municipal, o “projeto de banco de horas” ainda não foi extinto.

COMPARTILHE

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Share on print
Print

FILIE-SE AO SIGMUC

INFORMATIVO SOBRE A PEC 32/2020

DENUNCIE IRREGULARIDADES

FACEBOOK

Outras Notícias