SIGMUC ACOMPANHA AUDIÊNCIA DE PRESTAÇÃO DE CONTAS NA CÂMARA.

SIGMUC ACOMPANHA AUDIÊNCIA DE PRESTAÇÃO DE CONTAS NA CÂMARA.

“PLANOS DE CARREIRA DEVEM SER REPENSADOS”, AFIRMA SECRETÁRIO DE FINANÇAS, NA CÂMARA DE VEREADORES.

 

Os diretores do sindicato acompanharam nesta manhã (18/02/20), prestação de contas do Município referente ao 3º quadrimestre de 2019. A apresentação feita pela Secretaria de Finanças, em cumprimento ao que determina a Lei de Responsabilidade Federal (LRF), foi realizada durante Audiência Pública na Câmara dos Vereadores.

Nas explanações ficou demonstrado que a receita corrente líquida (RCL) teve um aumento de 3,99%, em comparação com o ano anterior, porém, houve uma queda vertiginosa com relação a gastos com pessoal durante a atual gestão, chegando ao patamar de 40,86% do orçamento, bem abaixo do limite máximo de 54% e o prudencial de 51,30%. O que na prática se reflete em arrocho salarial para o funcionalismo.

Durante a explanação, novamente, ficou evidente que a atual gestão preteriu seu quadro de servidores, promovendo uma política de desmonte do serviço público, priorizando obras de “asfalto”.

Atualmente, o vencimento inicial do cargo de Guarda Municipal é o pior entre as carreiras de nível médio da Prefeitura de Curitiba. Tivemos apenas arrocho salarial, perda de direitos e aumento de atribuições, sem a devida contraprestação pecuniária. Isto é reflexo da política de recursos humanos do Prefeito Rafael Greca, declarou o presidente do sindicato GM Luiz Vecchi.

Outro ponto a ser destacado, é a dívida de cerca de 130 milhões que a Prefeitura tem com os servidores aposentados, referente a indenizações, como licenças prêmio não fruídas.

Ao ser questionado, o Secretário de Finanças afirmou que um projeto de lei será encaminhado para a Câmara de Vereadores, para disciplinar o parcelamento destes valores.

Questionado pelo sindicato, sobre os valores destinados a Guarda Municipal, o secretário afirmou que o orçamento para a pasta vem aumentando, e que, inclusive uma parte dos 30% dos recursos oriundos das multas de trânsito impactados pela DRM (desvinculação de recursos do Município), retornaram para a Guarda Municipal, porém tais valores e destinações não foram discriminados pelo secretário.

Ao ser questionado sobre as despesas com pessoal, o secretário também afirmou que os planos de carreira do funcionalismo devem ser “repensados”.

Tal afirmação, transmite um recado para o funcionalismo, caso os planos de reeleição do Prefeito Rafael Greca se concretizem. Ou seja, mais DESVALORIZAÇÃO E PRECARIZAÇÃO DA CARREIRA.

#FORA GRECA

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios*