SINDICATOS LUTAM PELA RETIRADA DO “PACOTAÇO DA MALDADE” DO PREFEITO RAFAEL GRECA

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on print

Hoje pela manhã (10/04), os sindicatos que representam as categorias do funcionalismo público municipal, compareceram na Câmara Municipal de Curitiba para debater o “pacote de maldades” proposto pelo prefeito Rafael Greca.

No diálogo, que contou com a presença de 34 vereadores, os dirigentes sindicais criticaram duramente as medidas previstas, pedindo inclusive a retirada dos 12 projetos de lei, e cobraram a realização de uma audiência pública que reúna população, servidores, vereadores e prefeitura para ampliar o diálogo sobre a situação.

A direção do SIGMUC, em conjunto com os outros quatro sindicatos que representam os servidores municipais, apresentaram aos vereadores uma análise dos 12 projetos lei que compõem o “pacotaço”.

Foram mostrados como cada um dos projetos afetará os servidores e a qualidade dos serviços públicos, apresentaram também dados que contradizem os argumentos usados por Rafael Greca para tentar justificar a necessidade desses cortes.

Os sindicatos juntamente com as respectivas categorias, pediram a retirada imediata dos projetos. “São 12 armas apontadas para as nossas cabeças, em tom de ameaça, o que impossibilita qualquer tipo de negociação”, afirmaram.

Luiz_Veck_952A6233
Os planos de carreira que o Greca quer congelar foram aprovados pelos senhores vereadores e eu vejo isso como um desrespeito a esta Casa. Ajuste sim, maldade não, pois não podemos pagar esse pato sozinhos”, reforçou o presidente do SIGMUC – Luiz Vecchi – fotos CMC

O presidente GM Luiz Vecchi alertou que as medidas propostas irão impactar toda a vida funcional dos servidores.

“A cidade precisa de obras sim, mas também precisa de seus servidores e o que estão propondo não é algo temporário. Os planos de carreira que o Greca quer congelar foram aprovados pelos senhores vereadores e eu vejo isso como um desrespeito a esta Casa. Ajuste sim, maldade não, pois não podemos pagar esse pato sozinhos”, disparou.

O presidente da Câmara, vereador Serginho do Posto  adiantou que nas próximas semanas serão ouvidos os secretários municipais de Finanças e de Recursos Humanos, além do presidente do Instituto Curitiba de Saúde (ICS).
A categoria marcou presença e a direção do sindicato reforça que a participação de todos é fundamental neste momento.

A mobilização continua e a pressão na Câmara permanece.

COMPARTILHE

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Share on print
Print

FILIE-SE AO SIGMUC

INFORMATIVO SOBRE A PEC 32/2020

DENUNCIE IRREGULARIDADES

FACEBOOK

Outras Notícias