SINDICATOS VÃO A CÂMARA PARA COMBATER “MALDADE DE GRECA” DISFARÇADA DE AJUSTE FISCAL

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on print

Nesta quarta-feira (19), a direção dos sindicatos que representam as categorias do serviço público municipal, SIGMUC, SISMMAC, SISMUC, SINFISCO E SINDCÂMARA, compareceram a Câmara Municipal para assistirem uma explanação dos secretários municipais de Finanças, Recursos Humanos e do Governo Municipal, sobre o pacote de maldades da gestão Greca.

O convite foi feito no finalzinho da tarde ontem (18), pelo presidente da Câmara.

Desta vez, os sindicatos concentraram suas críticas à proposta de lei municipal de responsabilidade fiscal e previdenciária, Proposição nº 002.00012.2017, um dos 12 projetos do “PACOTE DA MALDADE”.

O principal questionamento foi à limitação da variação da despesa com o pessoal ativo de 70% do crescimento anual da receita corrente líquida e à mudança na redação do item que trata da despesa com cargos em comissão e funções gratificadas.

Na prática, esta limitação desejada por Greca (maior do que a limitação prevista na LRF Federal), permitirá que ele:

  1. congele progressões funcionais;

  2. congele planos de carreira;

  3. congele o pagamento de quinquênios;

  4. não conceda reposição da inflação;

  5. não faça novas contratações;

Tudo isso por tempo indeterminado… Ou seja, até que a Prefeitura demonstre nos balanços orçamentários, que houve aumento da receita a ponto de permitir tais pagamentos novamente.

Os sindicatos questionaram as manobras orçamentárias que estão sendo feitas pela atual gestão nos projetos apresentados a Câmara, principalmente no tocante ao aumento de gastos com cargos comissionados e funções gratificadas .

Durante a campanha o prefeito Rafael Greca prometeu reduzir em 40% o número de cargos comissionados e funções gratificadas na administração municipal.

Mas, o que está protocolado na Câmara é na realidade o oposto. O projeto da Lei de responsabilidade fiscal municipal foi apresentado no dia 29/03, mas foi retirado e substituído na semana passada. E a mudança feita é justamente no gasto com cargos em comissão.

A alteração realizada permite um aumento dos gastos com cargos comissionados! É isso mesmo! Se o discurso do Prefeito é no sentido de se cortar gastos, como é que um dos projetos prevê o aumento de gastos com cargos de livre escolha.

Levando em consideração os dados de 2016, o gasto com os cargos comissionados,  foi de 3,9% das DESPESAS COM PESSOAL, ou seja,  algo em torno de R$ 114.9 milhões.

Caso a proposta da Lei responsabilidade municipal tivesse sido aprovada no ano passado, esse gasto passaria a ser em torno de R$ 250 milhões, 3,9% da Receita Corrente Líquida do município.

ISTO NÃO É AJUSTE! É MALDADE!

TODOS JUNTOS NA ASSEMBLEIA GERAL UNIFICADA NO DIA 24/04 PARA COMBATER AS MALDADES DE GRECA!!!

Acompanhe no youtube

COMPARTILHE

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Share on print
Print

FILIE-SE AO SIGMUC

INFORMATIVO SOBRE A PEC 32/2020

DENUNCIE IRREGULARIDADES

FACEBOOK

Outras Notícias