NO DIA DO GUARDA MUNICIPAL QUEM DÁ O BOLO É O PREFEITO

NO DIA DO GUARDA MUNICIPAL QUEM DÁ O BOLO É O PREFEITO

Guardas Municipais de Curitiba ficam com as mãos abanando no dia nacional do Guarda Municipal (10/10).

Promessas de valorização que não se cumprem, sucateamento da estrutura, plano de carreiras congelado, falta de efetivo, um comando apático, sem uniformes há mais de 4 anos, sem data-base, postos de trabalho insalubres, entre outras mazelas cotidianas.

Distante do discurso de que contrataria 300 guardas municipais já nos primeiros dias de sua gestão, o prefeito Rafael Greca passou cheque sem fundo para os servidores. A promessa pré-eleitoral, de que iria injetar 20 milhões imediatamente na estrutura da Guarda Municipal, também  não passou de um engodo.

Insatisfeitos, guardas municipais já pensam em troca de comando, uma vez que a atual administração não disse a que veio.

 PACOTAÇO

 Para a atual gestão, retirar direitos (dos servidores) era a única saída para que a cidade voltasse a crescer, contudo, inchando ainda mais a máquina com cargos em comissão e funções gratificadas, falta recursos para os serviços mais básicos.

A Guarda Municipal sofre constantemente com cortes de orçamento, e precisa de “paliativos” para mascarar o problema. “O que o município investe em Carnaval para um ou dois dias de evento, é maior do que o investimento na Guarda Municipal o ano inteiro!” Apontam os Diretores do SIGMUC.

Valorização é uma palavra desconhecida na SMDS. Plano de Carreiras congelado! Avanços não realizados! Titulações paradas! Data-Base atrasada, sem perspectiva de pagamento… Descontentamento é geral.

4 ANOS SEM UNIFORME

Os guardas municipais reclamam do descaso e a prefeitura se faz de esquecida. Os guardas precisam utilizar de recursos próprios para continuarem trabalhando uniformizados. Recentemente o SIGMUC se reuniu com o Secretário Municipal, Guilherme Rangel, e o mesmo havia garantido que teria dinheiro para a aquisição de uniformes. Mas o que até o presente não ocorreu.

POSTOS INSALUBRES 

Sem dinheiro para o básico, os postos de trabalho dos guardas municipais estão literalmente abandonados. A comissão de saúde, higiene e segurança do trabalho, COHSAT, que inclusive recebe função gratificada para vistoriar os postos de trabalho, sequer se mostra preocupada.

O SIGMUC está fazendo um levantamento das denúncias e irá encaminhar às autoridades estas reclamações.

EFETIVO 

De um efetivo que beirou os 1800 guardas, mais de 500 guardas deixaram as fileiras nos últimos anos. Sem reposição e com um aumento das atividades, o serviço cada vez mais está precarizado. Viaturas desativadas, postos descobertos, atendimentos não realizados… este é o compromisso de Rafael Greca para a Segurança Pública de Curitiba? Os concursados de 2015 estão aguardando a convocação e muitos já estão desistindo da nomeação.

DIA NACIONAL DO GUARDA MUNICIPAL 

Conforme a Lei Federal nº 12.066/2009, o dia 10 de Outubro é considerado o Dia Nacional do Guarda Municipal. Mas nem mesmo esta homenagem a atual gestão é capaz de fazer. Os representantes da Secretaria Municipal da Defesa Social, Guilherme Rangel, Superintendência, Inspetor Carlos Celso do Santos Junior e o Diretor da Guarda Municipal, Inspetor Odgar Nunes Cardoso, se ausentaram de comparecer na homenagem realizada na Assembleia Legislativa do Paraná. “Se não comparecem nem no dia mais importante da Guarda Municipal, o que podemos esperar nos demais?” Comentam os Diretores.

Literalmente esquecidos, os guardas municipais não têm outra alternativa a não ser lutar e torcer para que este pesadelo acabe logo.

SIGMUC – JUNTOS SOMOS FORTES! 

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios*