Prefeitura quer aprovar regulamento do CuritibaPREV às pressas

Prefeitura quer aprovar regulamento do CuritibaPREV às pressas

Conselheiros que representam os servidores exigem mais tempo para análise detalhada do documento

A Prefeitura quer aprovar às pressas nesta sexta-feira (21) o regulamento do CuritibaPREVA pauta da primeira reunião do Conselho Deliberativo do fundo prevê a análise e votação da proposta de regulamento, que foi enviada aos conselheiros no fim da tarde de segunda-feira.

Os sindicatos que representam os servidores municipais dividem uma cadeira nesse conselho e já enviaram ofício cobrando que o regulamento não seja tema de deliberação na reunião para garantir mais tempo para estudo e análise. Desde o mês de março, as entidades cobram que a administração divulgue com antecedência a proposta, mas a Prefeitura preferiu segurar o documento, que só foi divulgado junto com a convocação da primeira reunião.

A proposta de regulamento está sendo estudada pelos departamentos jurídicos dos sindicatos e especialistas da área. Uma análise preliminar indica que as irregularidades permanecem, como a inscrição automática de novos servidores. A lei 15.072/2017, que criou o CuritibaPREV, estabelece a entrada automática, mas a lei que instituiu a previdência complementar no Brasil (Lei complementar nº 109/2001) impede esse tipo de mecanismo. Outra irregularidade diz respeito a forma de inscrição de vereadores e cargos comissionados no CuritibaPREV. Ao contrário dos demais servidores, eles poderiam sacar os recursos do fundo quando encerrarem o vínculo com o município, levando parte da contribuição paga pelo empregador, o que representa mais privilégios para quem já tem muitos.

A aprovação de regulamento é o último passo que falta para que a Prefeitura consiga colocar o CuritibaPREV em funcionamento. Após análise do Conselho Deliberativo, o documento deve seguir para análise da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (PREVIC).

Prefeitura tem maioria nos conselhos que fiscalizam o CuritibaPREV

A Lei 15.072/2017 prevê que os conselhos Deliberativo e Fiscal do CuritibaPREV são paritários, mas a Prefeitura conseguiu manobrar para ter maioria.

A Associação dos Aposentados foi incluída como representante dos servidores, mas na verdade essa entidade está do lado da Prefeitura no ataque aos direitos dos servidores. Essa associação votou a favor do saque de R$ 700 milhões do IPMC e do aumento da alíquota do ICS nos conselhos em que participa.

Ninguém é obrigado a aderir ao CuritibaPREV

Cuidado para não cair na propaganda furada da Prefeitura. A adesão ao CuritibaPREV é opcional e só pode ser feita com concordância do servidor.

Chegou até os sindicatos a denúncia de que novos servidores foram inscritos de forma automática no momento da nomeação. Assim que for feito o primeiro desconto no contracheque comprovando o abuso da Prefeitura, os sindicatos organizarão uma campanha de desfiliação e questionarão na justiça a inscrição automática.

O CuritibaPrev suga recursos do Previdência dos Servidores Municipais de Curitiba (IPMC). A cada adesão, a contribuição patronal de 23% paga pela Prefeitura em nome do servidor passa a ser dividida: 3% serão desviados para o CuritibaPREV e 20% serão repassados ao IPMC.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios*