Sindicatos protestam na reabertura dos trabalhos na Câmara e Vereadores mudam o discurso sobre projetos que aumentam impostos.

Sindicatos protestam na reabertura dos trabalhos na Câmara e Vereadores mudam o discurso sobre projetos que aumentam impostos.

Durante a sessão plenária que reabriu os trabalhos na Câmara de vereadores, ocorrida hoje (01/08), os sindicatos que representam as diversas categorias do funcionalismo público municipal, SIGMUC, SINDICAMARA, SISMMAC E SISMUC promoveram um ato protestando contra a aprovação das leis que congelaram salários, carreiras e ainda retiraram direitos dos servidores municipais. O ato lembrou as circunstancias em que se deram as sessões de votações, que ocorreram sobre forte aparato policial, repressão e violência .

b241a971-5c49-460b-86a9-7b1fb8e057f5

REABERTURA DOS TRABALHOS NA CÂMARA.

Após 30 dias de descanso, após apenas seis meses de atividades, os vereadores de Curitiba retornaram ao trabalho e já apresentam um discurso totalmente diferente aos utilizados durante a desastrosa aprovação de parte dos projetos que compõem o pacote de maldades do Prefeito Rafael Greca.

Os discursos da base “apadrinhada” de Greca que buscavam induzir a população que, sem a aprovação do Pacotaço, Curitiba deixaria de prestar serviços públicos e portanto Greca “desligaria” a cidade aos poucos, mostram que tudo não passava de um teatro armado.

Inúmeros projetos de lei dos vereadores aliados de Greca, buscam dar isenção tributária a entidades diretamente ligadas as atividades externas dos parlamentares. Reduzindo a receita da Prefeitura.

Agora, Pier Petruzziello, líder do prefeito na Câmara, anuncia a retirada de dois projetos, o aumento do ITBI e a mudança das regras do ISS.

Estranhamente, os Sindicatos tentaram inúmeras vezes alertar a imprensa e a população quanto aos projetos, alegando que com a implementação de uma maior carga fiscal e tributária na população, traria inúmeros prejuízos à cidade, mas com a soberba de Greca, ele simplesmente ignorou os argumentos dos servidores, “Não adianta recebê-los, eles simplesmente não me escutam”, dizia.

Agora, “sensibilizados” se apropriaram dos argumento dos sindicatos como se fossem eles os verdadeiros paladinos da verdade e da moral.

A grande verdade por trás desta manobra do Legislativo e do Executivo é simples, evitar perder votos da camada da população atingidas pelo projeto. Mas, esquece os nobres vereadores que são os servidores que estão diretamente em contato com a população, e que o povo não tem memória curta.

SIGMUC – JUNTOS SOMOS FORTES

 

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios*