TRABALHADORES EM GREVE NA COPA

Sindicatos que representam ate 4 milhões de trabalhadores de setores estratégicos ameaçam greves, protestos e paralisações surpresas durante a Copa, que começa em junho. De acordo com levantamento realizado pelo jornal “Folha de São Paulo”, ao menos 16 categorias poderão cruzar os braços no período dos jogos, para forçar negociações de aumento de salários e conquistas de benefícios.

 

GUARDA MUNICIPAL

 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Guardas Municipais de Curitiba- SIGMUC – Sr. Luiz Vecchi, “não se descarta a possibilidade da guarda entrar em greve no período dos jogos da copa, tendo em vista que as negociações do  plano de carreira e data base não avançam. E ainda com agravante de assedio moral e praticas anti sindicais da direção da Guarda, querendo enfraquecer o movimento sindical”. Desabafa Vecchi.

 

Além dos entraves nas negociações relacionadas a DATABASE, que até agora não saíram do papel, a Falta de investimentos em infraestrutura e aquisição de novos equipamentos, também fazem parte do Pleito da Categoria.

 

De forma unilateral a Administração Municipal, repassou ao funcionalismo público em geral, correção inflacionária de 5,38% o que não cobre nem mesmo a inflação da Capital, considerada uma das maiores das capitais do País. Ano passado a Administração repassou 0,33% de ganho real, o que foi considerado extremamente pouco, este ano até o presente momento, NADA DE GANHO REAL, foi repassado pela atua Gestão.