Rua Presidente Faria, 51, conj. 801, 8º andar

Atendimento: Seg - Sex: 08:00 às 18:00h

Invalid Api key.Please enter a valid Api key.
Rua Presidente Faria, 51,
Conj. 801 – 8º Andar
Centro – Curitiba/PR
CEP: 80020-290
Tel: (41) 3264-5062

A FENAGUARDAS – FEDERAÇÃO NACIONAL DE SINDICATOS DE GUARDAS MUNICIPAIS, repudia veementemente as declarações do Sr. Paulo Guedes, Ministro da Economia, que comparou os” servidores públicos a parasitas, alegando que os mesmos tiveram reajuste de 50% acima da inflação, possuem aposentadoria generosa e são responsáveis por 90% dos gastos dos governos”.

A afirmação feita pelo representante do Governo Federal, além de mentirosa, generaliza todas as classes que compõem o funcionalismo público brasileiro.

A FENAGUARDAS rechaça com toda veemência e indignação tal classificação rasa e generalizada, porque os guardas municipais exercem com orgulho e lisura suas atribuições, inclusive, arriscando suas vidas diuturnamente no desempenho de suas funções.

Além do risco de morte, a atividade exercida pelos guardas municipais traz consigo um nível de tensão muito grande, agressões físicas e psicológicas, exaustivas jornadas de trabalho, serviço noturno, risco da atividade, peso dos equipamentos, atendimentos em situações de tragédias e calamidades públicas.

Em contrapartida, estes profissionais sofrem com baixas remunerações, falta de equipamentos e condições inadequadas de trabalho, inclusive, sem acesso a aposentadoria com critérios diferenciados pelo risco da profissão, o que por si só, é um verdadeiro absurdo!

A fala do ministro Paulo Guedes, deliberadamente, coloca a população contra os servidores públicos que executam o serviço mais básico para proteger o povo: segurança.

A irresponsabilidade dos governos em culpar o funcionalismo por sua má administração está causando grandes prejuízos à população brasileira.

É uma vergonha, tamanho desconhecimento e irresponsabilidade, advindos de um Ministro de Estado.

A FENAGUARDAS, luta pelos direitos dos guardas municipais brasileiros, e não se calará perante tamanha desfaçatez.