DELIBERAÇÕES DA ASSEMBLÉIA GERAL CONJUNTA

Ocorreu ontem (21/03), a Assembleia geral conjunta contando com a participação de guardas municipais, professores, auditores fiscais, profissionais da saúde, FAS, SETRAN, SMMA, enfim, todas as categorias que englobam o conjunto de servidores.

 

 Na pauta, estava a proposta final da Administração referente a recomposição salarial de 10,36% para abril. O índice corresponde a inflação do período pelo IPCA .

 

Todas as categorias, pleitearam recomposição salarial mais ganho real, o que não vem sendo contemplado pelas propostas feitas até o momento pela Administração.

 

O índice apresentado pela Administração representa 0,72% a menos, em relação ao INPC nacional, que fechou os últimos 12 meses em 11,08%. Em comparação com a inflação referente a Curitiba, este número foi ainda mais alto: 12,86%.

 

Durante os trabalhos desenvolvidos na assembleia, as direções dos sindicatos explanaram a evolução das conversas com a Administração ao longo dos últimos dias, uma vez que a primeira proposta apresentada pela Secretaria Municipal de Recursos Humanos (SMRH), restringia-se ao IPCA (10,36%) parcelado em 2 vezes, com parcelas para abril e setembro.

 

Os servidores presentes, após analisarem todos os pontos apresentados, deliberaram pelo envio do Projeto de reajuste à Câmara dos Vereadores, porém querem a continuidade da negociação com a Prefeitura.

 

Também foi aprovado a realização de um ato de protesto a ser realizado no dia 29 de março. Este ato reivindicará: Continuidade da negociação salarial na Câmara; Pautas sobre o IPMC e ICS, Planos de Carreira; Contratações por concurso público; Retirada das anotações das faltas de greves.

 

Foi apresentado aos presentes a Resolução nº 21.054/2002 do TSE que permite que o município conceda reajuste da inflação mesmo após o prazo fixado pela legislação eleitoral, contrapondo o que foi apresentado pela Administração e mesa de negociação.