ATENDIMENTOS REALIZADOS PELA GUARDA MUNICIPAL DE CURITIBA, NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2022, CAEM 19%. CORTE DE HORAS E FALTA DE VIATURAS, IMPACTAM O ATENDIMENTO À POPULAÇÃO.

ATENDIMENTOS REALIZADOS PELA GUARDA MUNICIPAL DE CURITIBA, NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2022, CAEM 19%. CORTE DE HORAS E FALTA DE VIATURAS, IMPACTAM O ATENDIMENTO À POPULAÇÃO.

Nos seis primeiros meses do ano, os guardas municipais curitibanos atenderam 25.234 mil ocorrências. O número pode parecer alto, porém, no mesmo período de 2021, a Guarda Municipal havia atendido 19, 45% ocorrências a mais (31.326mil).

Antes era comum nos depararmos com as equipes da Guarda Municipal saturando em diversas praças, bosques, jardinetes, pontos comerciais de grande concentração na cidade.

AGORA, NÃO MAIS! POR QUÊ?

O corte de horas de trabalho dentro da corporação, resultaram em diversos postos de trabalho fechados. Módulos fixos da Guarda Municipal em Parques e Praças ficaram desativados e alguns permanecem.

“Paralelamente ao corte de horas, há um verdadeiro colapso de viaturas na corporação, o que contribui para a diminuição deste número. E é importante destacar, que isso não é de hoje, estamos alertando para o alto número de manutenções na frota desde 2021”, declaram os diretores do sindicato.

Agora até mesmo a equipe da GPEO – Grupo de Pronto Emprego Operacional, que atua diretamente na região central da cidade, teve seu efetivo reduzido. O grupo que chegou a ter mais de 300 integrantes, hoje possui menos de 100.

O número de exonerações devido a política de recursos humanos imposta pela atual gestão, também só faz crescer a cada dia. Só esta semana mais três GMs das últimas turmas pediram afastamento.

É HORA DE REAGIR!

A GUARDA MUNICIPAL DE CURITIBA PEDE SOCORRO!

Fonte: https://www.curitiba.pr.gov.br/dadosabertos/