“NOVAS” VIATURAS VELHAS DA GUARDA MUNICIPAL PARTE – 2

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on print

Não é por falta de aviso, mas a situação da frota da Guarda Municipal vai de mal a pior. Após serem incorporadas ao serviço, as “novas” viaturas Duster são vistas por todos os cantos da cidade desfilando sobre um guincho da empresa locadora que atende a prefeitura de Curitiba.

CURITIBA QUE NÃO DORME

Frutos de um contrato pernicioso, as viaturas que já foram usadas diuturnamente por outra Guarda Municipal do estado de Santa Catarina, já chegaram a Curitiba apresentando diversos problemas. “A situação foi levada a conhecimento da pasta, e nada fizeram. Curitiba dormiu no ponto. ” Comentam os diretores do sindicato.

NÃO SABE FAZER, DEIXA QUE EU FAÇO

Slogan de campanha do prefeito para mostrar sua capacidade de gestão, Curitiba está entrando na vanguarda dos modelos a não serem seguidos. Em diversas Guardas Municipais pesquisadas, todas renovaram suas frotas com veículos zero quilômetros, excetuando a capital que demonstra a velha política do discurso fácil em campanha eleitoral. “Curitiba possui uma das maiores Guardas Municipais do Brasil e infelizmente não possui uma gestão condizente com sua importância. Quem perde com a inoperância da administração é a população”. Pontuam.

PROBLEMAS SEM SOLUÇÃO

Outras viaturas já estenderam seus prazos de utilização em mais de 2 anos, algumas atingindo quase 200.000 quilômetros. “Problemas surgem de todas as maneiras, mas quando se negligencia a manutenção, algo pior pode acontecer, como um acidente. Temos relatos de viaturas que rodam sem óleo no motor ou com pastilhas de freio gastas além do limite.” Apontam.

FROTA PRÓPRIA

Veículos da frota própria da GM (Caminhonetes e Módulos Móveis) sofrem constantemente com “baixas”. A manutenção depende de previsão orçamentária, licitação, planejamento operacional, entre outros pontos que fazem com que os veículos patrimoniados permaneçam mais tempo parados em oficinas para corrigir problemas que não foram tratados preventivamente. “Ao não se realizar uma simples manutenção preventiva, acaba se tornando em uma manutenção corretiva muitas vezes mais cara e demorada”. Concluem os diretores.

O SIGMUC notificará novamente a Secretaria Municipal de Defesa Social e Trânsito para que procedam as adequações para que se evitem riscos de acidentes aos guardas municipais na condução das viaturas devido a problemas crônicos de manutenção.

SIGMUC, Juntos Somos Fortes!

COMPARTILHE

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Share on print
Print

FILIE-SE AO SIGMUC

INFORMATIVO SOBRE A PEC 32/2020

DENUNCIE IRREGULARIDADES

FACEBOOK

Outras Notícias