GRECA ATACA SERVIDORES E QUER APROVAR “LEI DO CABRESTO”.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on print

A Gestão Rafael Greca, repetindo o roteiro do primeiro mandato, aproveita o primeiro ano da sua nova gestão para atacar os servidores públicos curitibanos.

Desta vez, o novo pacotaço traz um projeto de lei que institui avaliação de desempenho para o funcionalismo público, detalhe: sem apresentar os requisitos objetivos em lei, eles serão definidos por decreto e portarias posteriores. Numa clara tentativa de estabelecer critérios subjetivos para avaliação dos servidores municipais.

O texto do PL 005.00210.2021 substitui o atual sistema de avaliação especial de desempenho para os servidores em estágio probatório e cria a avaliação funcional para os servidores estáveis.

Com isso, o resultado da avaliação funcional servirá como base para diversos objetivos da administração: como o crescimento na carreira, movimentação de pessoal, identificação de perfis gerenciais, confirmação de servidor no cargo, entre outas situações. Estabelecendo regras que podem permitir de forma descarada a perseguição política e os critérios de “cabresto” ao funcionalismo.

O projeto também traz a possibilidade de servidores em estagio probatório, sem estabilidade, exercerem funções gerenciais e cargos em comissão na administração, o que é proibido hoje. Para o sindicato, isso é uma demonstração de que a gestão Greca quer na verdade apadrinhar seus preferidos.

Como serão definidos os critérios para a Avaliação funcional?
Resposta: Por Decreto posterior a ser editado pelo Prefeito.

Quem comporá a comissão de avaliação funcional?
Resposta: Será definido pelo Secretário de cada pasta, indicar a composição de Avaliação Funcional, tanto para os servidores em estágio probatório quanto para os servidores estáveis.

Qual será a pontuação mínima para ser considerado apto?
Resposta: A pontuação mínima para ser considerado apto na Avaliação será estabelecida em Decreto Municipal.

ESTABELECER AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO SEM OS CRITÉRIOS OBJETIVOS PREVISTOS EM LEI, É MAIS UM GOLPE CONTRA OS SERVIDORES PÚBLICOS.

“Isto desconsidera todo o sacrifico e empenho que os guardas municipais e os demais servidores da linha de frente no combate a Pandemia, dedicam a população curitibana” apontam os diretores do sigmuc.

Desde 2017 os guardas municipais estão sem suas progressões funcionais, em 2018 a reposição salarial da categoria foi 0%, e nenhuma vantagem financeira foi implementada pela administração mesmo com o acréscimo de atribuições dos guardas. “Valorização dos servidores não é algo que seja típico da atual gestão, ao contrário, jamais foram contabilizados tantos retrocessos nos direitos dos servidores como nesta gestão”, finalizam os dirigentes sindicais.

VAMOS A LUTA, CONTRA A LEI DO CABRESTO!

Proposicao_005.00210.2021

COMPARTILHE

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Share on print
Print

FILIE-SE AO SIGMUC

INFORMATIVO SOBRE A PEC 32/2020

DENUNCIE IRREGULARIDADES

FACEBOOK

Outras Notícias